Menina ribeirinha

 

Manga, MG – 2001


por Fabio Murakawa

Para dois paulistanos descobrindo o Brasil profundo, chamava a atenção a relação íntima das pessoas com o rio. Pessoas tomando banho, lavando a louça ou a roupa eram parte da paisagem do Velho Chico. Isso apesar de todos os relatos e dados da poluição de suas águas, fruto da falta de saneamento e do uso intensivo de agrotóxicos.

Em suas anotações sobre o retrato dessa menina se banhado em Manga (MG), o Min mais uma vez se mostrou preocupado com o tema. Lembrou uma conversa que tivemos mais afrente, rio abaixo, com o Bispo de Barra, dom Luiz Cappio, um dos mais ferrenhos opositores da transposição das águas do São Francisco.

Manga, MG, menina ribeirinha
Ribeirinhos, apesar de possuírem água encanada em casa, usam o rio para se banhar, lavar as roupas e panelas e buscar água para beber. Primeiro para se economizar no orçamento do mês, e depois porque em casa a falta de água é constante. Para o frei Luiz Cáppio, Bispo Diocesano da cidade de Barra (BA), há aí um agravante. ‘A poluição está pouco a pouco envenenando a população. Devido aos projetos de irrigação do Médio São Francisco e à falta de fiscalização, aumentou-se muito o uso do agrotóxico. Não me surpreenderia se a causa deste grande número de crianças com deficiência mental fosse, além da subnutrição, a poluição do rio São Francisco.'”
Filme 35mm
Rio São Francisco

Série numerada Velho Chico

  • Série de 11 imagens de autoria de Marcelo Min
  • Fotografias realizadas em 1994 e 2001 em viagens ao rio São Francisco
  • Curadoria: Marcello Vitorino (2016)
  • Impressão com pigmento mineral sobre papel 100% algodão Hahnemühle Photo Rag Baryta
  • Impressas no Espaço opHicina, em São Paulo
  • Tiragem: 2PA + 10 (para cada formato)
  • Formatos: 50 x 75 cm, 30 x 45 cm e 100 x 150 cm
  • Cópias assinadas e numeradas
  • Acompanham certificado de autenticidade

 


← voltar