Com Deus vou em frente

 

Xique-Xique, BA – 2001


por Fabio Murakawa

Ainda não eram oito horas da manhã, quando os barcos a motor começavam a chegar ao porto de Xique-Xique, na Bahia. O rio estava seco, e trabalhadores empurravam as pequenas embarcações que encalhavam em bancos de areia.

A bordo das “lanchas” havia de tudo um pouco: pessoas, panelas, cabras, sacos de feijão e de milho, vacas, motocicletas, querosene. Aos poucos, ia se formando um verdadeiro mercado persa às margens do rio São Francisco.

Essa foto foi tirada pelo Min no mercado que se formava à margem da gigantesca represa de Sobradinho. Era uma de suas preferidas dessa viagem. Na imagem, três coisas que frequentemente encontrávamos no trajeto do Velho Chico: fé em Deus, trabalho infantil e torcida do Flamengo.

Em Xique-Xique, fizemos a única perna de nossa viagem de barco, até Pilão Arcado. A seca e o assoreamento faziam o barco encalhar nos bancos de areia. A viagem, que normalmente duraria cinco horas, levou nove. O rio dava sinais preocupantes, que Min registrou em suas anotações.

Xique-Xique, BA, 2001
Para ouvir o grito do bom e velho Chico basta olhar. Tudo está seco, assoreado e raso. Não há mais peixes e há muito pouco transporte fluvial. Em Xique-Xique, na entrada da barragem de Sobradinho, por causa da seca, é comum o encalhe das embarcações, obrigando os passageiros a empurrar o barco. Vale lembrar que Sobradinho já foi o maior lago artificial do mundo, com mais de 4.000 km².
Filme 35mm

Série numerada Velho Chico

  • Série de 11 imagens de autoria de Marcelo Min
  • Fotografias realizadas em 1994 e 2001 em viagens ao rio São Francisco
  • Curadoria: Marcello Vitorino (2016)
  • Impressão com pigmento mineral sobre papel 100% algodão Hahnemühle Photo Rag Baryta
  • Impressas no Espaço opHicina, em São Paulo
  • Tiragem: 2PA + 10 (para cada formato)
  • Formatos: 50 x 75 cm, 30 x 45 cm e 100 x 150 cm
  • Cópias assinadas e numeradas
  • Acompanham certificado de autenticidade

 


← voltar